in

Eunício diz que apoio a RC e Camilo não tem interesse eleitoral

Presidente do Senado disse que os diálogos visam somente “o bem-estar da população cearense”. Foto: Agência Senado

Um das principais lideranças de oposição ao governador Camilo Santana (PT), senador Eunício Oliveira (PMDB), minimizou que as conversas de bastidores de que seu grupo político estaria se reaproximando do petista, ou mesmo com o prefeito Roberto Cláudio, tenham pretensões eleitorais.

Questionado pelo jornal O Estado, o presidente do Senado disse que os diálogos visam somente “o bem-estar da população cearense”.

“O trabalho que estou fazendo, agora, não é para ajudar o governador Camilo Santana, o prefeito Roberto Cláudio, muito menos para o meu partido e, sim, para a população cearense, do interior e da Capital, em todos os sentidos”, frisou o peemedebista. E tentou deixar claro o trabalho que está fazendo, em nada diz respeito às questões eleitorais do ano que vem.

“Objetivo”
A “tese”, já conhecida da política cearense, tem motivado questionamentos por parte de aliados do peemedebista que cobram uma postura “clara” do senador. Eunício, no entanto, diz que as liberações de recursos financeiros para o Ceará visam dar continuidade as obras e enfatiza: “o meu objetivo não é para ajudar ninguém pessoalmente, mas ajudar o desenvolvimento do Estado do Ceará, para que a população tenha uma vida mais confortável e, assim, não pode ter política no meio, porque se fosse seria uma cobrança pelo que estou fazendo”.

Sem detalhes
Ainda sobre a relação com o governador Camilo Santana, Eunício avisou que manterá os diálogos “normalmente”, até porque as tratativas visam empreendimentos para o Estado do Ceará. Com relação à disputa eleitoral, o peemedebista foi mais enigmático, falando que deixará seu destino “nas mãos da população cearense”, que ditará os rumos do pleito do ano que vem. Além disso, o senador adiantou que só tratará do assunto em maio ou junho do ano que vem.

Governo ou Senado?
Eunício afirmou que, até agora, não definiu o cargo que disputará em 2018 quando o mandato de senador será encerrado. Enquanto isso, ele continuará agenda pelo interior do Estado, a fim de permitir que o partido amplie sua representação tanto na Assembleia Legislativa como Câmara dos Deputados.

Aliados
Aliados de Camilo Santana, entretanto, já haviam anunciado que o Governador e o prefeito Roberto Cláudio (PDT) têm procurado o senador, em Brasília, para pedir apoio financeiro para projetos locais e que os diálogos não tiveram tratativas políticas para o ano que vem. Um deles foi o ex-governador Cid Gomes durante entrevista esta semana.

“Normal”
Sobre a aproximação do governador Camilo Santana com Eunício, Cid disse que os encontros são fundamentados diante da necessidade de agilizar a liberação de financiamentos para Ceará junto ao Congresso Nacional. “Quem está na responsabilidade de governar tem que superar divergências políticas pra ir atrás do que é necessário para a administração. O senador Eunício cumpre o seu dever institucional que é apoiar o Estado”, ressaltou Cid Gomes.

E ainda
Cid, inclusive, se manifestou sobre o comentário do senador Eunício Oliveira que se colocou como “eleitoral de Lula”, mesmo após ter apoiado o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. “Ele trabalhou e votou foi contra a Dilma e não contra o Lula. Mas, eu não sou porta-voz do Eunício. Ele que se explique”, ponderou Cid. (Com informações de Tarcísio Colares)

Com informações do OE

Deixe uma resposta

GIPHY App Key not set. Please check settings