in

“Não sou político”, diz Beto Studart ao negar candidatura

O empresário garante que aproximação com o Governo Camilo Santana diz respeito a sua representação junto ao segmento industrial e, portanto, não tem nenhuma pretensão política. Foto: Divulgação/FIEC

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), empresário Beto Studart, minimizou as especulações de que sua saída do comando da entidade estaria ligada a pretensão de disputar as eleições de 2018.

Nos bastidores, o nome do empresário aparece com chances de disputar como candidato a vice-governador numa suposta composição para a reeleição do governador Camilo Santana no pleito do ano que vem.

Embora seja filiado ao PSDB – sigla pela qual concorreu a vice de Lúcio Alcântara em 2006 -, o empresário negou que tenha pretensões política futuras e, não confirmou sua saída do comando da Fiec.

“Não sou candidato a cargo algum. Nem a deputado, senador ou vice-governador, pois não sou político”, refutou Beto Studart, ontem, após o lançamento do Plano Estratégico de Desenvolvimento de Longo Prazo – Ceará 2050.

Camilo
O empresário comentou sua aproximação com o governador Camilo Santana, classificando apenas como uma aliança de “colaboração de ideias e propostas” em virtude de sua representação junto ao segmento empresarial. “Minha aproximação com o Governo é, simplesmente, no sentido de colaborar com ideias e propostas e, especialmente, porque sou representante do segmento industrial do Estado, através da Fiec. Não tenho nenhuma pretensão política”, asseverou ele.

Bastidores
As especulações da candidatura do empresário surgiram durante o último final de semana, após empresários narrarem uma conversa de Beto Studart com um grupo de amigos próximos na última sexta-feira (29). Na ocasião, ele teria comunicado a intenção de deixar o comando da Fiec. A notícia movimentou os bastidores políticos com a possibilidade do nome do empresário para composição de chapa ao Governo do Estado nas eleições de 2018.

Fora
Apesar das negativas sobre disputar qualquer cargo público, o empresário já confirmou que estuda a possibilidade de encerrar o mandato na entidade de classe. Iniciado em 2014, o período de Beto Studart à frente da Fiec vai até outubro de 2019.

Ceará 2050
Em meio às especulações, Beto Studart ganhou lugar de destaque ao lado do governador Camilo Santana, durante lançamento do Programa Ceará 2050. O chefe do Executivo, por sua vez, evitou tecer comentários sobre política. Segundo ele, o atual momento requer pensar estratégias para o futuro do Estado.

Sem política
A imprensa, Camilo afirmou que o Brasil “perdeu a cultura de planejar a médio e longo prazo” e, portanto, na contramão, “a ideia do programa é recuperar a cultura de planejar e pensar qual Ceará queremos para o futuro”. Ele disse, ainda, se tratar de uma política de Estado, onde todos, independente de ideologia partidária, poderá contribuir desta e das sucessivas gestões do Poder Executivo, valorizando, inclusive contribuições de governos anteriores, contribuindo para o desenvolvimento das futuras gerações.

UFC
A iniciativa, segundo explicou Camilo, será coordenada pela Universidade Federal do Ceará (UFC). “Para ser validado, o projeto precisa ser discutido com todos, independente de ideologia, questões político-partidárias. […] A ideia é juntos pensarmos no futuro do Ceará. Juntos erramos menos. Precisamos pensar em estratégias para o futuro. A ideia que possamos contribuir neste processo para as futuras gerações”, frisou o governador, demonstrando empolgação com a iniciativa.

E ainda
A partir de agora, segundo informações do Governo, os próximos 15 meses serão de discussão, envolvendo todos os atores sociais – independentemente de matiz partidária ou ideológica – para a elaboração de mais possibilidades para um Ceará que já tanto se desenvolveu.

Com informações do OE

Deixe uma resposta

GIPHY App Key not set. Please check settings