in

Holandês acusado de matar filho pode ser expulso do País

O holandês Stefan Smit, acusado de matar o filho de três anos, está em situação irregular no Ceará e poderá ser expulso do País, segundo nota divulgada ontem pela Polícia Federal (PF).

De acordo com a PF, em 2007, o estrangeiro solicitou permanência definitiva no Brasil em razão de ter se casado com uma brasileira. Porém, após investigações, a Polícia Federal constatou que, à época, o casamento não existia de fato. O pedido foi indeferido pela Divisão de Permanência do Ministério da Justiça em 2009.

A Polícia Federal informa ainda que encaminhou cópia do procedimento criminal do estrangeiro para a Divisão de Medidas Compulsórias, do Departamento de Estrangeiros do Ministério da Justiça, para análise de possibilidade de instauração de Inquérito Policial de Expulsão.

A criança foi encontrada morta no último sábado, em um flat no Mucuripe. De acordo com a Polícia, laudo cadavérico emitido pela Perícia Forense do Ceará (Pefoce) apontou asfixia como causa do óbito. Porém, o corpo não apresentava lesões, o que ainda não possibilitou identificar as causas do sufocamento.

Na quarta-feira, o holandês e a mãe da criança, a cearense Antônia Cláudia Marques da Silva, foram submetidos a uma acareação na Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dececa), que investiga o caso.

O corpo do menino foi sepultado ontem no município de Camocim, a 379,3 quilômetros de Fortaleza. O outro filho do casal, de cinco anos, continua internado no Hospital Infantil Albert Sabin e seu quadro de saúde é estável. (Lusiana Freire)