in

MP apresenta lista de envolvidos em crimes de currupção e fraudes de licitações em Maracanaú

Realizada  na tarde desta terça-feira, 18, na sede  do Ministério Público do Estado, coletiva de Imprensa para apresentar a lista de pessoas presas temporariamente nesta manhã em Maracanaú, os crimes investigados são de fraudes em licitações, peculato, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva e associação criminosa, que envolve empresas no ramo de construção civil ligadas a Secretária de Infraestrutura de Maracanaú, que tem a frente Carlos Eduardo Bandeira de Melo, também Vice Prefeito da cidade.

Os procedimentos de Investigações seguem de 2007 a 2014, e persegue as empresas Cacique Empreendimentos Construções LTDA, empresa Alves Oliveira Construções LTDA, , R. Schuck, e empresa J.filho e seus associados, além das empresas JJ Marcou Colina e Cicau. Segundo o promotor Epaminondas, a Cacique foi criada apenas para participar das licitações em Maracanaú e,  com as denuncias a mesma foi descartada das obras, que passou todos os empreendimentos para a empresa Alves Oliveira.

As fraudes nos cofres públicos tiveram a participação de autoridades publicas, empresário, e servidores públicos.

O Ministério Público solicitou a quebra de sigilo bancário e telefônico, e todas as pessoas presas e envolvidas serão ouvidas, tendo o último dia de abril como base para encerramento das investigações.

Segundo as investigações a empresa Cacique foi criada em 2007 a qual teve contratos no município.

A empresa arrecadou R$ 4.709.344.92 em 11 licitações ganhas. Já a empresa Alves oliveira teve a criação em 1997 e de 2009 e até 2013 participou de 7 licitações e arrecadou  R$ 6.150.358.94 a mesma é sediada na casa de um mestre de obras, a qual nem placa tinha informando a existência de uma empresa naquele local.

Outra empresa a fazer parte do esquema criminoso é a R. Schuck,  que faturou de 2008 e 2009 um montante de R$ 23.838.549,47. A J. Filho Usina de Asfalto Construções LTDA, faturou em 2012 e 2013, a quantia R$ 12, 452.296.02

O MP aponta Carlos Bandeira, atual vice-prefeito e secretário de obras do Município como comandante do esquema criminoso e passou a investigar o caso através de denuncia de terceiros, onde seguem na origem, ou seja, no beneficiamento das empresas para ganharem as licitações.

Os mandatos de busca e apreensão foram espedidos e cumpridos com sucesso segundo os delegados que comandaram a operação o qual foram presos 10 pessoas.

OS ENVOLVIDOS SÃO:

*  Edson Pereira de Sousa – Membro da Comissão de Licitação

* Marcos H. Bandeira de Melo – Empresário e Irmão do Vice Prefeito e Secretário de Obras

* Frederico Pinheiro Magalhães – Sócio da Empresa Schuck

* Jairo Fontenele M. Filho – Empresário e Sócio da Cacique Empreendimentos LTDA

* Marcos Barbosa da Silva – Fiscal da Secretária de Obras e tem Cargo Comissionado

* Rafael Freitas Reis de Melo – Funcionário da Alves Construções.

* José Pereira Nunes Filho

* Elaine Cristina da Costa Mota – Funcionaria da Comissão Central de Licitações

*Egídio Cordeiro de Abreu Filho – Membro da Comissão de Licitações

*Antônio Alves da Cruz – Mestre de Obras, Empresário da Alves Oliveira LTDA

O Delegado da Policia Civil DR. Harley Alencar, informou que 05 pessoas estão foragidas, a qual logo fará à apreensão.

SÃO ELES:

* Rynara Ferreira Ramiro, Atual Presidente da Comissão de Licitações

* Alisson Dehon Cordeiro Câmara –    Gestor de Licitações

* Maria Patrícia Lopes dos Santos – Membro da Comissão de Licitações

* Lívia Julyana gomes Vasconcelos – Membros da Comissão de Licitações

O atual secretário de obras e atual vice-prefeito Carlos Eduardo Bandeira de Melo também estão sob Investigação e encontram-se foragido.

O ex-secretário de Finanças Antônio Cleber Uchoa Cunha, José Uchoa Cunha e Flávio Santana.

O Diretor do (Gaep) Emanoel Epaminondas, que está a frente das Investigações juntamente com o Promotor de Justiça Harley de Carvalho Filho, estima que o Rombo pode chegar a mais de R$ 50 milhões aos cofres públicos, do período de 2007 a 2011, e disse que as Investigações não chegam ao ex-prefeito Roberto Pessoa.

Em 2014 a Empresa Alves Oliveira Construções Faturou mais de 1 milhão de reais .

Da Redação